Ariano Suassuna

Nota de Pesar

A Associação da Imprensa de Pernambuco (AIP) expressa seu profundo pesar pelo falecimento do escritor Ariano Suassuna, um homem de fé e que acreditava na humanidade. Na vida, soube construir amigos e doar-se para o bem comum.

Seu falecimento representa uma perda para a sociedade e cultura brasileira.

Nossas condolências aos familiares, amigos e acadêmicos da ABL e APL.

 

Múcio Aguiar

Presidente

ABI abre Representação em Pernambuco

abi.pe

No último dia 7 de junho, foi instalada a representação da Associação Brasileira de Imprensa – ABI em Pernambuco, o primeiro da entidade no Nordeste. O evento aconteceu no Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – Pernambuco. A representação é chefiada pelo jornalista Múcio Aguiar Neto, que atualmente preside a Associação de Imprensa de Pernambuco (AIP).

Presentes à solenidade o diretor da ABI, Jesus Chediak, o secretário de Imprensa de Pernambuco, Ivan Maurício, a presidente da Associação Paraibana de Imprensa (API), Marcela Sitônio, e diretores da AIP. A cerimônia contou com homenagem ao ex-presidente da ABI Barbosa Lima Sobrinho, que foi governador de Pernambuco entre 1948 e 1951.

Fotos: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.660838493985375.1073741831.377497815652779&type=1

 

Católica oferece curso de especialização

Unicap

Unicap

Parceria com a Universidade Católica de Pernambuco garante 20% de desconto nas mensalidades do curso de especialização em História e Jornalismo, para sócios da AIP.

O curso, com duração de 16 meses, tem o objetivo de qualificar os profissionais habilitados em Jornalismo, História e áreas afins, através de uma formação continuada ao nível de pós-graduação lato sensu, nos campos da comunicação, história brasileira e universal.

As inscrições vão até o próximo dia 24 de julho, com aulas a partir de 18 de agosto. Maiores informações: 2119.4134

ABI terá representação em Pernambuco

abiO jornalista Múcio Aguiar Neto, presidente da AIP, foi indicado para chefiar a representação da Associação Brasileira de Imprensa, em Pernambuco, a primeira no norte/nordeste.

A instalação da representação acontecerá no dia 07 de  julho, às 17h, no Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – Pernambuco, com a presença do presidente da ABI, Tarcísio Holanda e diretores da entidade. Oportunamente haverá homenagem ao ex-governador pernambucano Barbosa Lima Sobrinho que presidiu a ABI, no Rio de Janeiro.

A chegada da ABI representa um grande ganho para o jornalismo local, tendo em vista a importância política, histórica e social da ABI no cenário nacional.

A História da fundação da ABI se confunde com a de seu perseverante idealizador Gustavo de Lacerda. Criada em 7 de abril de 1908, seu principal objetivo era assegurar à classe jornalística os direitos assistenciais e tornar-se um centro poderoso de ação. Segundo o próprio Lacerda, a Associação deveria ser um campo neutro em que se pudessem abrigar todos os trabalhadores da imprensa.

A ABI jamais deixou de cumprir os objetivos que a originaram, mas se adaptou ao longo do tempo. Seus estatutos foram ajustados às diversas situações socioeconômicas da indústria jornalística. Como disse em 1969 um ex-presidente da Casa, Fernando Segismundo, “além das finalidades fundamentais, a associação deve interpretar o pensamento, as aspirações, os reclamos, a expressão cultural e cívica de nossa imprensa; preservar a dignidade profissional dos jornalistas — e não apenas a de seus sócios; acautelar os interesses da classe; estimular entre os jornalistas o sentimento de defesa do patrimônio cultural e material da Pátria; realçar a atuação da imprensa nos fatos da nossa história; e colaborar em tudo que diga respeito ao desenvolvimento intelectual do País”.

Brasil registra maior número de assassinatos de jornalistas na América Latina em 15 anos

 

info-jornalistas-1Com quatro mortes ocorridas no primeiro semestre, o Brasil registrou em 2013, ao lado da Guatemala, o maior número de assassinatos de jornalistas entre todos os países das Américas, segundo o Relatório Anual sobre Liberdade de Expressão preparado pela relatoria especial do tema na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA), divulgado nesta quinta-feira, 24, em Washington(EUA).

 

O documento relaciona o Brasil entre as nações do continente nas quais houve recentemente avanço significativo de assassinatos de profissionais de comunicação. Entre 1995 e 2010, o país registrou 26 casos. No triênio 2011-2013, foram 15 mortes. A cobertura de manifestações aumentou o risco para o exercício da atividade jornalística no Brasil.

Fonte: Portal ABI

AIP apoia exposição

Bruno Faria/Divulgação

Bruno Faria/Divulgação

Memória, história e arquitetura se misturam na exposição The end, do artista plástico Bruno Faria, que entra em cartaz hoje, a partir das 19h, na Sala Nordeste, localizada no prédio da Representação Nordeste do Ministério da Cultura, no Bairro do Recife. A proposta da mostra foi a vencedora do Prêmio Funarte de Arte Contemporânea no ano passado e o espaço receberá três trabalhos feitos a partir da pesquisa do artista sobre a Associação da Imprensa de Pernambuco (AIP), fundada em 1931.

Segundo Bruno, o trabalho tem várias camadas de leitura, que passam pela decadência do modernismo no Recife, época do auge da AIP, da degradação do bairro de Santo Antônio, onde fica o prédio da associação e o desconhecimento pela própria cidade da memória desse espaço. “Havia uma efervescência muito grande na Associação, que tinha um café e uma sala de cinema, mas isso acabou e o prédio está em uma situação crítica. Só os três primeiros andares têm salas comerciais ativas e nem o elevador funciona mais”.

A exposição, no entanto, não ocupa apenas a Sala Nordeste, mas ela se desdobra até a rua com a intervenção urbana Letreiro objetivo. O topo do Edifício AIP, na Avenida Dantas Barreto, ganhou um letreiro de neon de 2 metros de altura por 12 metros de largura, com as palavras The End, (“o fim” em português), que estará aceso durante todas as noites até o fim da exposição, no dia 18 de maio.

O hall da Sala Nordeste, por sua vez, recebe a obra Design prum Brasil novo, que traz reproduções de cartazes de 11 filmes que estiveram em cartaz no Cinema AIP, criados pela artista visual Lygia Pape. Bruno realizará intervenções nos cartazes que remetem à Roda dos prazeres, trabalho feito pela artista em 1967, com quatro cores: verde, vermelho, amarelo e azul.

O terceiro trabalho é o vídeo The end, com uma colagem dos créditos finais de 100 filmes clássicos da história do cinema, que constam no livro A magia do cinema, do crítico de cinema norte-americano Roger Ebert.

Serviço

The end, de Bruno Faria
Onde: Sala Nordeste de Artes
Visuais/Ministério da Cultura – Rua do Bom Jesus, 237, Bairro do Recife
Abertura: Hoje, às 19h
Visitação: De segunda a sexta, das 10h às 18h, até 18 de maio
Entrada Gratuita