Eleição na AIP

Associação da Imprensa de Pernambuco – AIP

A Comissão Eleitoral da Associação da Imprensa de Pernambuco, fundamentada no seu Estatuto, eleita na Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de 15 (quinze) de junho de 2016 (dois mil e dezesseis), anuncia o início do processo eleitoral da AIP, com a abertura das inscrições para chapas para a Diretoria e Conselho Fiscal, para o mandato 2016-2019. A inscrição de chapas poderá ser feita por meio da entrega protocolada de duas vias idênticas do Formulário de Inscrição de Chapa às Eleições da AIP, ao qual serão anexadas Relação (nominata) de todas(os) as(os) integrantes da chapa, com indicação dos cargos para os quais estão sendo inscritos nas eleições da AIP, devendo todos estarem em dia com a suas obrigações. O prazo de inscrição é de 30 dias corridos a partir desta publicação.

Recife, 02 de agosto de 2016

Comissão Eleitoral da AIP

O futuro da imprensa no Brasil

downloadSeminário Internacional que pretende discutir o futuro da imprensa no Brasil e no mundo será realizado entre os dias 17 e 18 de novembro, em São Paulo. O objetivo do seminário é reunir profissionais que são referências nacionais e internacionais em um intercâmbio de pensamentos, práticas e tendências sobre o futuro do jornalismo e da comunicação. Data: 17 e 18 de novembro de 2014. Inscrições no site:www.midiajor.com.br

Aos 105 anos, morre a pineira da imprensa pernambucana

isnar-moura-em-preto-e-brancoO jornalismo pernambucano está em luto. Sua profissional mais antiga, Isnar Moura, morreu, aos 105 anos, na noite da última quarta-feira, 22 de outubro, , vítima de falência múltipla de órgãos. O nome dela foi fundamental para a história da imprensa de Pernambuco.

Na década de 40 Isnard Moura começou a trabalhar na redação do Jornal do Commercio, escrevendo sempre sobre educação e sociedade. Em seguida passou a dedicar-se à pesquisa na área pedagógica. Foi autora dos livros Poesia de três idades Admirável mulher do Capitão Zeferino.

Isnard Moura deixou a carreira 76, após deixar sua marca de 40 anos no jornalismo de Pernambuco, aposentando-se “por velhice” e não por serviço, como ela própria fazia questão de frisar.

Nascida em Timbaúba, a jornalista estudou em Olinda e Recife. Estava interna no Hospital dos Servidores e foi sepultada nesta quinta-feira.

 

Supremo Tribunal Federal exige diploma de jornalista para concurso

DiplomaJornalismo_AGBRAntonioCruz_pO Supremo Tribunal Federal (STF) lançou no dia 11 de outubro último, edital de concurso público para o cargo de Analista Judiciário, especialista em Comunicação Social. Para a inscrição o STF exige, conforme o edital, “diploma, devidamente registrado, de curso de nível superior de graduação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC, e registro na Delegacia Regional do Trabalho”.

O requisito para a inscrição revela postura contraditória do STF, já que, em 17 de junho de 2009, o órgão decidiu pela inconstitucionalidade da exigência do diploma para o exercício da profissão de jornalista. O entendimento foi de que o artigo 4º, inciso V, do Decreto-Lei 972/1969, baixado durante o regime militar, não foi recepcionado pela Constituição Federal (CF) de 1988 e que as exigências nele contidas ferem a liberdade de imprensa e contrariam o direito à livre manifestação do pensamento inscrita no artigo 13 da Convenção Americana dos Direitos Humanos, também conhecida como Pacto de San Jose da Costa Rica.

Desde então a categoria dos jornalistas vem lutando em defesa da validade do diploma. A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 206/2012, que reinstitui a exigência de diploma de curso superior de Jornalismo como requisito para o exercício da profissão, entrou na pauta da Comissão de Constituição, de Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados(CCJC) na sessão do último dia 30,  mas não foi votada em função de um pedido de vistas do deputado Sérgio Zveiter (PSD-RJ). Dirigentes da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e de Sindicatos de Jornalistas buscam agendar reunião com o parlamentar para esclarecer possíveis dúvidas e agilizar a tramitação da matéria, que precisa ser aprovada na CCJC e em duas votações no plenário da Câmara, sendo necessários 308 votos para ser confirmada.

— A exigência do diploma nunca restringiu a liberdade de expressão. É, sim, um requisito para a qualificação do exercício da profissão. Temos de trabalhar pela aprovação do texto como está, para agilizar a tramitação da PEC e por um fim aos prejuízos que a decisão do STF já causou aos jornalistas brasileiros, afirmou Celso Shroeder, presidente da Fenaj.

*Com informações do STF, Fenaj, Agência Senado, vermelho.org.br

SIP: pior semestre para jornalistas nas Américas desde 2008

SIP-maiorO primeiro semestre de 2013 foi o pior para jornalistas nas Américas nos últimos cinco anos, de acordo com a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP). O assassinato de jornalistas e as diversas medidas de restrição ao acesso à informação na região são alguns dos motivos para o quadro. Esta foi a principal conclusão do relatório da SIP divulgado nesta terça-feira, 22, ao final da  69ª Assembleia Geral da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), encontro anual da entidade, realizado entre 18 e 22 de outubro, em Denver, nos Estados Unidos.

O uruguaio Claudio Paolillo, que preside a Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP, manifestou preocupação com o avanço da violência nos últimos seis meses, quando foram assassinados 14 jornalistas na América Latina. Além desses casos, outros 17 registros de assassinatos de jornalistas permanecem sem solução, especialmente no México e na Colômbia.

— Os ataques aos meios de comunicação nos países latino-americanos fazem parte de um plano de poder. Estes ataques incluem a compra de meios privados em vários países por parte de candidatos e até mesmo familiares de governantes, assim como o uso de pressões econômicas ilegais para fazer com que os meios de comunicação se autocensurem, afirmou Paolillo.

Na Argentina, por exemplo, as pressões econômicas, os boicotes publicitários, as campanhas de difamação e intimidação como instrumento de coersão refletem o panorama da mídia, de acordo Daniel Dessein, do diário La Gaceta de Tucumán, representante da Argentina junto à SIP.

— Em razão deste cenário, a Comissão de Direitos Humanos (CIDH) marcou para os próximos dias uma audiência com jornalistas argentinos para avaliar o problema, disse Dessein.

Protestos

O documento brasileiro, produzido pela Associação Nacional de Jornais (ANJ), mostra que de 70 casos de agressão contra jornalistas, 21 foram registrados nos protestos do Dia da Independência, e destes 85% teriam sido praticados por policiais militares.

— A demora nas investigações e no julgamento dos autores é preocupante, avaliou Mário Gusmão, vice-presidente da ANJ.

*Com informações da EFE e Knight Center for Journalism

AIP reúne Imprensa da Mata Norte e Agreste

Foto: Brenno Xavier

Foto: Brenno Xavier

Mais de 90 pessoas estiveram reunidas no 1° Encontro da Imprensa da Mata Norte e Agreste de Pernambuco, realizado no último dia 19 de outubro, na Escola Técnica Manuela Ramos, em Carpina. Entre os palestrantes Aderval Barros (Rádio Olinda), Cléo Niceas (Asserpe), Pedro Paulo (TV Nova) e o advogado Ney Araújo.

A realização é da Associação da Imprensa de Pernambuco, contou com apoio da Asserpe, jornal Voz do Planalto, Rádio Naza FM, Rádio Olinda e TV Nova Nordeste.

Veja os vídeos abaixo:

Entrevista Múcio Aguiar

Entrevista Aderval Barros

Entrevista Pedro Paulo

Imprensa promove encontro em Carpina

O 1° Encontro da Imprensa da Mata Norte e Agreste de Pernambuco será realizado no próximo dia 19 de outubro, das 8 às 12 horas, na Escola Técnica Manuela Ramos, em Carpina. Entre os palestrantes Adherval Barros (Rádio Olinda), Cléo Niceas (Asserpe) e Pedro Paulo (TV Nova).

A realização é da Associação da Imprensa de Pernambuco, com apoio da Asserpe, jornal Voz do Planalto, Rádio Naza FM, Rádio Olinda e TV Nova Nordeste.

Informações: 3061-9207

Mestrado no Reino Unido

bolsaO Chevening é o programa mundial de bolsas de estudo do governo britânico, financiado pelo Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido (FCO) e organizações parceiras. As Bolsas são concedidas a estudantes de jornalismo e comunicação de destaque e com potencial de liderança para um programa de mestrado de um ano em uma das áreas prioritárias escolhidas e em qualquer uma das principais universidades do Reino Unido.

Informações: http://www.chevening.org/brazil/